Um quarto dos eleitores não querem nem Bolsonaro nem Lula

Ex-presidente lidera preferência; combate à corrupção é ação a ser priorizada pelo próximo presidente; seguem saúde e educação.

Nesta quarta-feira, a Modalmais lançou pesquisa mensal de intenção de votos, em parceria com a consultoria Futura Inteligência.

Segundo o estudo, quase 30 % dos eleitores ainda não sabem nenhum dos cargos que serão disputados na eleição do ano que vem.

As candidaturas de Jair Bolsonaro e Lula são as mais conhecidas entre os eleitores. Estes dois são seguidos de forma mais distante por Ciro Gomes e João Dória.

Nesta edição o presidente Jair Bolsonaro apresenta crescimento nas intenções de voto, mas divide com Lula a preferência do eleitorado. Nos diversos cenários, Lula aparece à frente. Ainda assim, destaca-se que, na maioria dos casos, há empate técnico. Em relação a primeira edição, Lula aumentou o número de eleitores que o rejeitam enquanto Jair Bolsonaro diminuiu um pouco a sua rejeição.

Ciro Gomes ocupa a terceira posição em cinco dos seis cenários de primeiro turno testados; em cinco cenários apresentados com Lula e Jair Bolsonaro na composição, Lula lidera todos, mesmo que em alguns casos, exista empate técnico. Nesta edição, diminuiu a diferença em todos os cenários.

O estudo também avaliou que 25% dos eleitores indicam que se pudessem decidir quem seria o próximo presidente da República, escolheriam outro candidato que não Jair Bolsonaro ou Lula; o apoio de Bolsonaro ou o de Lula a um outro candidato à presidente da República repercutem de forma negativa. Nas duas situações mais de 50% dos eleitores não votaria com certeza ou talvez não votaria no candidato apoiado por eles.

Para 26% dos eleitores, no conflito entre o presidente da República e o Supremo Tribunal Federal, o STF tem razão, outros 21% consideram que o presidente tem razão;.

Quando o assunto é urna eletrônica, 60% dos eleitores confiam totalmente ou confiam parcialmente no sistema; contra 34% que desconfiam totalmente ou desconfiam parcialmente.

De uma lista de ações a ser priorizada pelo próximo presidente, o combate à corrupção, é a opção mais citada como prioridade número um. Como segunda prioridade, a saúde, a educação e o emprego são considerados prioritários.

A Pesquisa Modalmais-Futura ouviu 2 mil eleitores entre os dias 17 e 20 de agosto de 2021. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais e o intervalo de confiança de 95%. Como técnica de abordagem foi usada entrevista telefônica assistida por computador (485.914 tentativas de contato 33.892 ligações atendidas).

monitormercantil.com.brmonitormercantil.com.br

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: