Pedro Honorato: O TEMPO, NOSSO MAIOR OBSTÁCULO NA CORRIDA POR UMA VACINA RESOLUTIVA CONTRA O CORONA VÍRUS

Estamos vivendo um momento de mobilização sem precedentes para enfrentar a COVID-19. Governos e instituições filantrópicas contribuíram com bilhões para a pesquisa e o desenvolvimento de vacinas contra o SARS Cov 2. A sociedade científica, por sua vez, está fazendo história ao avançar na produção de uma vacina em um tempo recorde.

O Brasil virou um grande laboratório mundial para testes de vacina. Hoje, segundo a Organização Mundial da Saúde existem aproximadamente 180 candidatas à vacina contra COVID-19 em desenvolvimento no mundo. Entre elas, quatro já estão sendo testadas no Brasil e possivelmente esse número deve aumentar em breve.

A busca por uma vacina que seja capaz de combater o vírus da COVID-19 é, sem dúvidas, o maior desafio que a sociedade científica encontra na atualidade. Mas você sabe quais são os tipos de vacina possíveis de serem desenvolvidos? E quais as diferenças entre cada um deles?

O tempo se torna o maior obstáculo na corrida por uma vacina durante uma pandemia como a de COVID-19. Em média, uma vacina eficaz leva em torno de 10 anos para ser desenvolvida, como podemos confiar em vacina que será produzida em menos de um ano? Para alguns leigos no assunto qualquer vacina serve, porém loge disso a vacina presci ser segura e aprovada em todas as fases do processo de produção de muma vacina.

Embora exista uma grande quantidade de vacinas a serem produzidas apenas quatro tipos estão sendo pesquisadas as quais são dos tipos:

VACINA VIRAL. Neste processo usa-se o próprio vírus enfraquecido para pra estimular o organismo a produzir anticorpos que darão resistência a aqueles vírus.

VACINA GENÉTICA: nesta usa-se o DNA ou RNA, desta forma os pesquisador estimula p próprio corpo a criar copias de celas protetoras que carreguem proteínas que inbam a produção do cirus nocivos.

VACINA RETRO-VIRAL: onde se usa outro vírus que é geneticamente modificado para produzir proteínas virais no corpo, provocando uma resposta imunológica no organismo.

VACINA A BASE DE PROTEÍNAS: usa-se proteínas de um vírus ou parte deste, ou ainda se usa alguma proteína que imitem partes da estrutura do vírus como uma cobertura para proteger os vírus que será combatido e este não se reproduza dentro do organismo.

É importante manter as medidas de proteção: lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou álcool em gel e cobrir a boca e o nariz com o uso de mascara. É importante manter-se a pelo menos 1 metro de distância das outras pessoas. Quando o distanciamento físico não é possível, o uso de uma máscara constante também é uma das medidas mais importante.

Foram confirmados no mundo 44.888.869 casos de COVID-19 (505.756 novos em relação ao dia anterior) e 1.178.475 mortes (7.009 novas em relação ao dia anterior) até 30 de outubro de 2020. Na Região das Américas, 13.331.823 pessoas que foram infectadas pelo novo coronavírus se recuperaram, conforme dados de 30 de outubro de 2020.

Pedro Honorato

Profissional de saúde

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: