Jacobina: novo Centro Público de Economia Solidária (Cesol) é pauta de reunião

A reunião contou com a presença do presidente da Associação de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável e Solidário do Estado da Bahia – ADESBA, entidade gestora do novo Centro Público de Economia Solidária.

Romário Meira falou do funcionamento e tirou duvidas sobre o espaço que irá funcionar no Alto da Missão, em Jacobina. O presidente da ADESBA ainda explicou a importância das políticas públicas ligadas a economia solidária desenvolvidas pelo governo estadual.

“O comprometimento do governador Rui Costa tem permitido que pequenos empreendimentos, principalmente ligadas a economia solidária, sejam capacitadas e se multipliquem gerando emprego e renda para muitas pessoas do nosso estado”, ressaltou Romário Meira, presidente da ADESBA.

O presidente do Colegiado de Desenvolvimento Territorial -Codeter , Paulo Gondim, esteve presente e ressaltou a necessidade de fortalecer o diálogo com os conselhos municipais e a necessidade de contemplar o máximo de empreendimentos solidários . “A chegada do Cesol é uma certeza que vamos avançar muito mais”, enfatizou.

O coordenador- geral do Cesol Piemonte da Diamantina e Municípios, Nilo Ramos, marcou presença acompanhado da coordenadora de articulação,Ticiana Sabino e do agente socioprodutivo,Jean César Moreira ,popularmente conhecido como “Júnior de Todos”.

“O desafio é grande, mas estaremos todos juntos nessa estruturação coletiva para o fortalecimento das ações da economia solidária,” destacou o coordenador -geral do Cesol,Nilo Ramos.

A reunião com a equipe do Cesol contou com vários parceiros estratégicos para o desenvolvimento de políticas públicas e economia solidária do Território de Desenvolvimento do Piemonte da Diamantina, entre eles: SETAF, CAR, SEPLAN, projeto Pró-Semiárido, Consórcio Intermunicipal, Secretaria de Agricultura de Jacobina, artesãos e representantes de comunidades quilombolas.

Com sede compartilhada entre Jacobina e Senhor do Bonfim, o novo Cesol do Piemonte da Diamantina vai atuar com empreendimentos da economia solidária em 15 municípios.

O projeto prevê inicialmente uma atuação de dois anos contemplando pelo menos 128 empreendimentos da economia solidária.

Ascom

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: