EPISÓDIOS DO JUNHÃO em: ‘O ARERÊ DO CHEF DE COZINHA’

JUNHÃO

Trinta e dois anos de idade. Inacreditavelmente ele sai do quarto cedo assim que o dia amanhece. Possivelmente talvez nem tenha dormido, porque chegou da farra em casa havia pouco tempo. É domingo e ele pretende fazer uma surpresa à mãe preparando o almoço. Imbuído por um inacreditável sentimento de ternura ele quer prestigiar a mãe dando a ela um descanso nos afazeres domésticos. Afinal uma dona de casa zelosa merece ter uma folga semanal.

Por isso ele vai apressado para o banheiro se aprontar. Depois de escovar os dentes e tomar banho se dirige à cozinha sem fazer barulho. Está entusiasmado para fazer a sua famosa “Torta à La Gueto”, cuja receita inventou durante a noite insone, enquanto farreava num bairro da periferia. Fala animado:

– A minha “coroa” merece um descanso. Hoje vou cozinhar para proporcionar a ela um domingo de rainha. Nada poderá dar errado!

Animado com a sua façanha ele sorri e elogia a mãe pela limpeza impecável na cozinha. Os utensílios domésticos estão todos brilhando de limpos. Também pudera, a infeliz só foi dormir depois de fazer uma faxina demorada em todo o ambiente. Esse esmero com a limpeza faz com que Ceiça se sinta orgulhosa por ser uma boa dona de casa. Por isso está muito cansada e dorme um sono profundo.

Orgulhoso por estar sendo útil na vida familiar Junhão pretende fazer o almoço antes que ela acorde. É uma forma de recompensá-la por todos os desatinos cometidos por ele que a fazem viver desgostosa. Com essa atitude ele pretende deixá-la muito contente e as amarguras de Ceiça ficarão no passado. Mas, com certeza, ele irá cobrar uma retribuição por ter proporcionado essa satisfação à mãe. E a gratidão dela por certo irá durar muito tempo. ¬ o Junhão é muito interesseiro, por isso não dá prego sem estopa. ­

Preocupado e apressado como se estivesse preparando uma comida num programa de televisão com o horário estabelecido, ele abre rápido a geladeira e pega o que irá usar: tempero verde, tomate, pimentão, batatas do reino, ovos, queijo muçarela, presunto, salame e atum em pedaços. Ele pretende fazer uma deliciosa torta salgada que irá deixar Ceiça muito exultante com a dedicação do filho. Junhão prevê que depois do delicioso almoço a mãe irá ficar bajulando-o ainda mais. Espera com isso a liberação de mais verba para as suas farras.

Ainda com pressa vai ao armário da cozinha e pega o restante dos produtos que irá usar na confecção da sua torta: farinha de trigo, sal, batedeira, liquidificador e a assadeira. Coloca tudo em cima da mesa e começa o preparo. Na agonia em aprontar a torta antes da mãe acordar, ocorrem alguns desastres involuntários. Um ovo rola de cima da mesa e se espatifa no chão. No afã em aparar o ovo, ele dá um esbarrão na mesa e a situação piora. Outros ovos rolam juntos com as batatas e também caem no chão, assim como as panelas. O ruído provocado pela queda do alumínio no chão é enorme. Para completar a bagunça culinária, o pacote de farinha de trigo que estava aberto sobre a mesa, cai espalhando a maior parte do produto por todo lugar, inclusive no chão. Nesse momento ele solta um sonoro palavrão que estronda através das paredes do apartamento.

MÃE

Cinquenta e dois anos. Com o barulho promovido pelo filho ela acorda assustada. Sem saber o que está havendo, teme que a sua cozinha esteja sendo invadida por algum ladrão. Num ímpeto ela retira a máscara que usa para dormir cobrindo os olhos e se levanta rápida da cama. Mesmo estando sonolenta, com os olhos vermelhos e olheiras acentuadas, vai à cozinha com um pedaço de pau na mão para verificar o motivo de tanta zoada. Caminha devagar enquanto pensa:

– Se for algum bandido vou lascar o sujeito em banda de tanta porrada que vou dar. Tenho que agir sozinha porque o cachaceiro do Júnior deve estar no quinto sono. Infelizmente o Juninho gosta de ficar nos braços de Morfeu. Nessas horas o Alcebíades faz muita falta aqui em casa.

Depois raciocina um pouco e diz:

– Mas, pela minha experiência, acredito que essa barulheira deve ser alguma presepada do meliante do Júnior. O sujeito deve ter chegado agora da farra e, ao invés de ir quieto para o quarto dormir, ele fica bêbado futucando onde não deve. Ah, menino malino!!!…

Ainda revoltada, fala com raiva:

– Esse mau elemento não respeita a minha necessidade de dormir para descansar depois de toda a trabalheira que tenho durante dia e noite nesta casa; tudo por causa dele.

Andando pé ante pé, finalmente ela chega à cozinha e fica horrorizada com a desordem que vê. E o pior é que toda a sujeira foi promovida pelo seu filhinho. Enraivada e totalmente descontrolada, esbraveja:

– Mas que fuzuê é esse?!!!… A gente não pode dormir em paz nesta casa que esse “pilantroso” faz balbúrdia pra desmanchar tudo!… Perdi todo o meu trabalho porque a limpeza que fiz foi pro beleléu! Só Jesus na causa!…

E grita reclamando:

– Júnior!!!… Vê se toma uma tenência na vida, criatura!!!… Eu já não aguento mais nem olhar pra sua cara de beberrão! Oh, meu Deus! Que sina a minha ter um filho assim!…

JUNHÃO

Pego de surpresa ele arregala os olhos e fica sem reação devido ao flagrante. Confuso, não sabe se corre ou limpa a sujeira que fez. Mas, assustado, permanece calado.

MÃE

Irritada, continua o esporro:

– Antes de dormir eu “mim disgracei” limpando tudo e o que adiantou?! Diga aí?!!!… Agora só vejo “imundice” na minha cozinha!… Esse peste ainda vai “mim” matar de desgosto!… “Mim” acode Jesus!

JUNHÃO

Estando sem alternativa, apenas murmura:

– Calma, só eu quero fazer uma surpresa preparando uma torta salgada para que você não tenha o trabalho de cozinhar hoje. Não se preocupe que eu limpo tudo depois. Você vai ter um merecido dia de rainha, minha “mainha”.

MÃE

Fica comovida com tamanha demonstração de carinho. Lágrimas escorrem pela sua face amarrotada por causa da flacidez e das rugas. Emocionada diz com a voz melosa:

– Oh, que lindo!… Que belo!… Eu sabia que você não era ruim por gosto… Esse sim é o meu filhinho!… Agora “tou sastifeita” e vou voltar pra cama para dormir à vontade. Porém, antes de voltar a dormir vou orar dando graças a Deus porque finalmente você “entrou nos eixos” … Por isso eu vou agradecer ao meu Deus poderoso! Oh, Glória!!!…

JUNHÃO

Já que recebeu carta-branca para continuar com a bagunça, reinicia a sua tarefa culinária despreocupadamente a fim de preparar a sua “famosa” torta salgada. Sentindo-se à vontade na cozinha ele coloca na batedeira os ovos restantes com a farinha de trigo, manteiga, sal, açúcar e creme de leite para fazer a massa. Quando nota que o produto está bem misturado ele retira o bolo. Aguarda um tempo para o fermento fazer efeito. Depois amassa a mistura com as mãos para dar maior consistência. Quando percebe que está no ponto ele esmaga a massa numa tábua com um rolo para deixá-la bem estendida.

Depois unta uma forma de vidro refratário com manteiga e arruma a massa de forma homogênea ladeando em todo o espaço da vasilha. Para compor o preparado coloca em camadas rodelas de batata cozidas, queijo muçarela, presunto, pedaços de atum, fatias de salame e queijo coalho. Junhão continua entusiasmado na sua intenção de fazer o excelente almoço para a mãe. Depois de tudo arrumado dentro da forma ele encobre o preparo com a massa restante e põe no forno.

Enquanto aguarda a torta assar ele acende um cigarro e começa a beber uma cerveja. Tempos depois a “Torta à La Gueto” está pronta. Com calma ele retira do forno a sua preciosidade e sente o cheiro que exala. A torta aparenta que está bem assada e com ótima aparência. Pense numa torta bonita…

Ao ver o resultado da sua criação ele fica vaidoso, aspira o cheiro e exclama:

– Hum… Que delícia!… A velha vai pirar quando perceber que o “filhão” dela é um excelente chef de cozinha.

Concluída a tarefa, ele aproveita para limpar a sujeira feita na cozinha e também para lavar os utensílios domésticos. Embora a sua limpeza não seja tão primorosa quanto à de Ceiça ele se dá por satisfeito. Depois vai para a sala aonde irão almoçar e arruma a mesa dentro dos padrões da etiqueta social. Pôs uma toalha rendada de linho branco e coloca os jogos americanos. Em cima deles coloca os pratos, do lado direito as facas e os garfos do lado esquerdo. Depois conclui botando os porta copos do lado direito, guardanapos do lado esquerdo e a torta no centro da mesa. O aspecto visual da mesa ficou excelente. Estando satisfeito por achar que a sua obra-prima está pronta, dá a última olhada para conferir se ainda falta algum detalhe. Junhão pretende que o almoço seja impecável, sem que haja nenhuma falha para não desagradar a mãe. Ao meio-dia ele está orgulhoso com a perfeição do seu almoço e grita chamando Ceiça:

– Pode vir almoçar, madame!…

MÃE

Pouco tempo depois ela chega toda sorridente, de banho tomado, vestido novo, batom nos lábios, havia tirado os bóbis, penteado os cabelos e feito um cocó. Ao ver a mesa posta ela toma um susto agradável com a delicadeza da arrumação feita pelo filho. Fala com ternura:

– Oh, que maravilha!… Deve estar uma delícia essa torta!… Obrigada, filhinho… Essa sua atitude é uma graça que alcancei com as minhas orações.

E exclama com fervor religioso:

– Glória a Deus! E muitas glórias a Jesus! Agora eu sou uma mulher realizada.

Depois lança uma farpa:

– Se bem que sou merecedora dessa gentileza da sua parte, ouviu Juninho?!…

JUNHÃO

Ao perceber que está agradando Ceiça, ele fica envaidecido. Então puxa a cadeira para que ela se sente à mesa no lado oposto ao dele. Contente com o elogio e o agradecimento recebido, dirige-se à mãe dizendo cheio de presunção:

– De agora em diante eu vou trabalhar!… Já descobri a minha verdadeira vocação!… Vou ser “chef de cozinha”!… Quero o seu apoio para ter sucesso nessa profissão! O meu futuro glorioso está em suas mãos.

E radiante com a situação diz empolgado:

– Agora você vai tomar um copinho de cerveja comigo pra gente comemorar a minha nova profissão. Vamos fazer o tim-tim para saudar a transformação em minha vida.

INÍCIO DO ALMOÇO

MÃE

Está nas nuvens de tanto contentamento e aceita beber de bom grado. Está entusiasmada com tanto prestígio repentino que recebera do filho e aguarda que ele sirva a primeira fatia em seu prato. Ela tem a impressão de que finalmente o seu filhinho encontrou o caminho profissional. Estando muito contente com o que está ocorrendo de bom na sua vida, Ceiça, após o gole de cerveja, dá a primeira garfada e mastiga o pedaço que levou à boca.

Durante alguns segundos ela fica entalada com o bolo da comida na boca. Sem poder falar na hora, faz uma careta horrível. Ao sentir o gosto da torta os olhos ficam vermelhos e esbugalhados. De repente fica com o corpo cheio de placas vermelhas e envolta em chamas. Não aguentando o queimor da ardência na boca ela cospe tudo imediatamente em cima da mesa, como se estivesse vomitando. Demonstrando estar engasgada fica desesperada buscando ar para respirar. A boca está pegando fogo por causa do ardor. Depois de muito tossir e babar, parecendo querer “botar os fatos pra fora”, consegue falar e brada enlouquecida:

– Mas, que “disgraça” é essa, “miséra”?!… Como é que você pôde fazer uma “fuleragem” dessa comigo, seu ordinário?!…

JUNHÃO

Arregala os olhos sem entender o motivo da acusação. Para ele estava tudo perfeito, portanto, não havia nenhum motivo para tanta falta de educação por parte da sua mãe em querer vomitar em cima da mesa. Visualmente ninguém percebe que a bonita “Torta à La Gueto” teve um erro grosseiro no seu tempero. Junhão ao preparar o almoço não prestou atenção no tipo de pimenta que ele colocou à vontade. Displicente, com ressaca e pressa em aprontar a comida ele errou no preparo. Ao invés dele pegar as pimentas calabresa e do reino que constava na sua receita, ele pôs uma quantidade enorme de ardentes pimentas malaguetas na mistura.

Consequentemente a torta salgada ficou incomível por causa da ardência das pimentas colocadas por engano. Na hora não perceberam esse problema apenas pelo visual. E isso provocou uma forte alergia em Ceiça, quase causando um edema de glote.

MÃE

Continua tossindo e babando muito, mas continua irritada e, quando consegue falar, grita espumando de raiva:

– Você não sabe que sou alérgica a pimenta, seu peste?!… Eu “tou” ficando sufocada! “Tá” querendo “mim” matar, desnaturado?!…

JUNHÃO

Continua sem entender o porquê da acusação. Abismado, balbucia:

– A senhora está exagerando; eu fiz tudo certo, de acordo com a minha receita… Não é possível que apesar de fazer essa delícia você fique reclamando. Acho que a sua sina é de ficar se fazendo de vítima. “Tá” repreendida!

MÃE

Escarra no chão a baba com o resto de comida que ficou na boca. Depois rebate com energia:

– “Tá mim” chamando de mentirosa, seu corno?! E ainda fica se gabando por causa dessa receita de merda?!… Você “impestia” a comida com pimenta ardilosa e ainda fica se achando o “mangangão” da culinária!… Devia ir ser o chef pra cozinhar nos quintos dos infernos e não “pra mim”, jacaré!

E continua:

– Onde já se viu um “oreba” igual a você, que só vive farreando e dormindo ter condição de fazer uma receita culinária?!… Eu estou em “pitição de miséra” devido ao ardor.

A seguir, está brava e determina:

– Se dependesse de mim você deveria estar estudando pra ser alguém na vida, seu merda!… Mas é um presunçoso e fica “se achando”, com uma gororoba indigesta dessa!… Você é um tremendo cara de pau!

JUNHÃO

Assustado, olha para os lados com cara de abobalhado, sem entender como e onde foi que errou na sua receita. Está frustrado por ter o seu trabalho perdido. Sem que Ceiça perceba ele sai devagarinho, calado, vai para o quarto e se tranca.

MÃE

Está enfurecida e lamenta:

– Quando a esmola é grande, desconfie…

Depois, ainda enraivada, pronuncia:

– Agora depois de perder tanto tempo vou ter que fazer um almoço decente.

E conclui:

– Vou proibir esse abestalhado de querer fazer comida. A vocação dele eu já sei qual é!… Aliás todo mundo sabe o que ele deseja da vida… Já não aguento mais as fofoqueiras ficarem falando mal dele e eu sem poder defender o infeliz. Que carma esse o meu!…

Autor: Joswilton Lima

NOTA DO AUTOR:

Apresento aos leitores dos “Episódios do Junhão” o meu livro de contos “Enigmas da Escuridão”. São quatro estórias com finais surpreendentes. Os contos relatam com minúcias situações dramáticas de seres humanos e, às vezes, divertidas. Esse livro obteve a nota máxima de leitores do site amazon, por isso acredito que será uma boa leitura para todos. Para ler, acesse o link abaixo:

https://www.amazon.com.br/Enigmas-Escurid%C3%A3o-Joswilton-Lima-ebook/dp/B0792K862W

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: