Dr. Antonio Dourado, o calçamento e o turismo em Morro do Chapéu

Visitando Morro do Chapéu

 

Após um curto afastamento, voltei a passar uns dias em Morro do Chapéu para rever os amigos e tomar conhecimento dos avanços do Projeto Geoparque.

Como há muito constatado verifiquei, sem surpresa que o problema dos passeios / calçamento permanece. Para uma cidade que pretende ser um polo turístico, é difícil conviver com a situação atual.. Uma grande diversidade de altura, largura, degraus, diferentes acessos para veículos e em muitos casos falta de manutenção, além de uma total falta de padronização.

Acredito que Morro do Chapéu possua deficientes visuais e pessoas com dificuldade de locomoção, que estão condenados a permanecer em casa, considerando que não existe, para os mesmos, condições de acessibilidade.  Considero ser difícil uma mudança nesse cenário, enraizado após vários anos, Entretanto, o poder público poderia intervir nas construções em andamento, fornecendo orientações, de modo a  evitar a ampliação do quadro atual.

Esclarecemos que na internet existem orientações a respeito deste assunto com os títulos Guia Prático para Construção de Calçadas e Normas para Execução de Calçadas.

Morro do Chapéu poderia seguir o exemplo da Prefeitura de São Paulo que criou o Programa Passeio Livre, que visa conscientizar e sensibilizar a população sobre a importância de construir, recuperar e manter as calçadas da cidade em bom estado de conservação.

Antonio José Dourado Rocha

Cidadão Morrense

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: