Caprinovinocultura: Demanda árabe renova esperança de produtores nordestinos

Países árabes querem adquirir 100 mil caprinos mês de mercado brasileiro

Com o objetivo de conhecer projetos agropecuários no semiárido baiano voltados à ovinocaprinocultura, representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) participam de missão técnica aos municípios de Vitória da Conquista, Itaguaçu da Bahia, Jacobina, Ipirá, Feira de Santana e Salvador.

Na noite da quinta-feira (15) a comitiva liderada pelo secretário de Política Agrícola do Mapa, César Halum, esteve no município de Jacobina, Centro-Norte baiano, e foi recepcionada por representantes da Prefeitura e de entidades ligadas ao agronegócio. O encontro aconteceu na Associação Comercial e Industrial de Jacobina (Acija).

Segundo Halum, o Ministério da Agricultura recebeu uma Comissão da Arábia Saudita para a aquisição de 100 mil caprinos por mês. “Precisamos organizar essa produção. Daremos início a esse projeto com todos juntos, Mapa, Ministério do Desenvolvimento Regional, Ministério da Cidadania, entidades, prefeituras e empresários”.

Representando o superintendente do Sebrae Bahia, Jorge Khoury, o gerente regional do Sebrae em Jacobina, Geronilson Ferreira participou da reunião. “O desejo de todos nós é ver nas gôndolas dos supermercados cortes de cordeiros de qualidade, agregando valor aos produtos dos homens e mulheres do campo da nossa região. No entanto, é preciso fortalecer ainda mais o associativismo e o cooperativismos. Assim, fica mais fácil transpor o desafio da exportação”, acredita Ferreira.

O gerente do Sebrae ainda pontuou a importância de políticas públicas voltadas aos produtores, a desburocratização, compras públicas e citou programas do Sebrae, Faeb e Senar, a exemplo do Agronordeste, que atendem diretamente quem está atrás das porteiras.

Presente na comitiva, o secretário do Grupo Parlamentar Brasil/Países Árabes, Khalil Karam, explicou que a demanda crescente do mercado árabe é uma excelente oportunidade para os produtores nordestinos. “Temos uma demanda atual de 150 mil animais vivos por mês para países como Egito, Líbano, Turquia, dentre outros”, afirmou.

Karam ressaltou que para atender o mercado árabe é necessário que os produtores/criadores se organizem e, para isso, é fundamental o apoio do Governo Federal e instituições/entidades com projetos voltados ao agronegócio.

Mercado de carne

Quarta mais consumida no mundo, a carne ovina ainda é pouco demandada pela maioria dos brasileiros, mas projeções da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) apontam um aumento do consumo em 10,94% até 2027.

Aliado ao crescimento do mercado geral de carne, proporcionado pelo aumento da população mundial e avanço da renda per capita, o consumo do mercado externo, especialmente de países árabes, renova a esperança dos criadores nordestinos, maiores produtores de caprinos e ovinos do país.

Segundo dados publicados pela Agência de Brasil-Árabe, o rebanho nacional de caprinos gira em torno de 9,8 milhões de animais, sendo que 90% se concentra no Nordeste. Já os ovinos são 18 milhões – 60% está no Nordeste e 25% no sul do País. A produção de carne de ovinos é de 91 milhões de toneladas.

Agência Sebrae de Notícias Bahia

Mais notícias: http://www.ba.agenciasebrae.com.br

Canal no Telegram: t.me/sebraebahia

Podcast: bit.ly/imersaosebrae

anoticiaaqui.com.brhttp://anoticiaaqui.com.br

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: