Antônio Dourado escreve sobre Jomarito Bagano Guimarães

Jomarito Bagano Guimarães

04.02 1949 – 31.01.2014

 

Fonte: Marcelo Bagano

 

Nascido em Morro do Chapéu, Jomarito iniciou na música ainda criança e teve o trombone como o seu primeiro instrumento e depois migrou para o saxofone. Seu primeiro professor foi o maestro José Ferreira da Silva que regia a Filarmônica Minerva. Ainda em Morro do Chapéu, ingressou no grupo “OS PAQUERAS”  que tocou por toda a região.

Ainda jovem, se mudou para Salvador e cursou Medicina por 03 anos na UFBA e paralelamente começou a tocar nas noites da capital baiana. Nesse período fez parte do grupo FASE 5 que se apresentava na TV Itapuã.

Em meados da década de 80 retorna, já com a família que formou em Salvador, para Morro do Chapéu, e se torna um dos músicos fundadores da Sociedade Filarmônica Lira Morrense. Na Lira atuou ativamente na história da entidade. Foi Presidente, Maestro e Professor de música por mais de 20 anos de maneira voluntária e gratuita. Foi responsável pela formação e educação musical de centenas de jovens, com alguns se tornando profissionais da música.

Foi altamente ativo e presente na produção cultural de Morro do Chapéu. Fundador também do grupo musical “SPALLA” que fez parte de inúmeras festas da região e também formando gerações de músicos.

E não só de música foi construída a história do Prof Jomarito. Aliás, esse título vem da relação dele com a Escola ABC. Juntamente com a “Pró” Lúcia, foi responsável pela criação e história da escola. Nas disciplinas que lecionava e/ou durante o ano letivo, sempre encontrava uma forma de fomentar a cultura e principalmente a música. A escola criou o Coral da ABC enquanto outros alunos participaram de orquestra de Flauta Doce.

A fusão desses dois mundos resultou em um dos eventos de grande significância da sua trajetória – o Arte e Cultura & Cia, que conseguiu reunir música, teatro, dança e poesia em uma grande apresentação envolvendo jovens e adultos da Escola ABC e a da Lira Morrense.

A sua obra musical foi, em sua grande parte, desenvolvida no repertorio da Lira Morrense. Inúmeros arranjos que vão de hinos religiosos à música do cancioneiro popular e principalmente as suas composições que vão de dobrados (gênero musical característico do repertorio das filarmônicas) ao baião.

Seu repertorio é amplo mas destacamos os Dobrados Tolentino Oliver Guimarães, Jose Ferreira da Silva e o baião “Não esqueci o meu sertão”

O professor Jomarito gravou um disco, em 2004. com o repertório composto por músicas que ele costumava tocar na sua história musical e por música também da sua autoria.

Do seu casamento com Lucia Maria Souto Guimarães, nasceram os filhos:

Tercio Danilo Souto Guimarães

Rodrigo Tassio Souto Guimarães

Ricardo Igor Souto Guimarães

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: