Como a rinoplastia pode contribuir para a harmonização facial?

Harmonização facial: veja como a plástica no nariz pode contribuir para alcançá-la

De acordo com as informações levantadas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a plástica do nariz é uma das cirurgias estéticas mais procuradas em todo o país, sendo realizadas milhares de vezes anualmente.

Essa demanda é facilmente justificada, considerando-se que o nariz é uma das partes que mais se destaca no rosto, ocupando a posição central.

Os formatos, conforme os variados ângulos de vista, podem equilibrar ou comprometer por completo o formato do rosto, interferindo negativamente na autoestima das pessoas.

Dessa forma, a plástica no nariz é uma possibilidade viável para ajudar na harmonização de seu rosto. Confira a seguir.

Um pouco sobre a plástica no nariz

A plástica no nariz é uma cirurgia não somente estética, que visa alterar o formato e as proporções indesejadas do órgão, como também reparadora de alguns tipos de defeitos congênitos e minimizadora de problemas respiratórios.

Os pacientes afirmam que após realizá-la, tanto a autoestima tem uma incrível melhora, quanto a qualidade de vida, tendo em vista a melhora na respiração.

Entre as cirurgias estéticas disponíveis atualmente, esta, sem dúvidas, é a mais complexa de ser realizada com excelência, por se tratar de um trabalho praticamente artesanal.

Como ela modela e harmoniza o rosto?

O cirurgião plástico especialista, a princípio, faz uma avaliação individual do paciente, a fim de averiguar quais os alcances e os limites do procedimento. Entre os exames feitos em clínica, incluem-se:

· Inspeção do interior do nariz, com e sem aplicação de spray descongestionante, com um endoscópio, checando as condições do septo, a parte que separa as narinas, e dos cornetos, aquela mucosa por onde o ar passa;

· Afastamento das narinas, para averiguar se a válvula nasal está causando algum tipo de obstrução;

· Aferição das medidas antropométricas faciais, tanto no plano horizontal, como também vertical e transversal, utilizando um paquímetro ou um projetômetro;

· Tiragem de fotos de vários ângulos e planos, para visualização dos problemas e alinhamento com o paciente sobre as expectativas plausíveis.

Dentro dessa análise inicial, pode-se determinar quais serão as técnicas utilizadas em conjunto e quais serão os aspectos do nariz que poderão ser mudados. No geral, a cirurgia proporciona:

· Mudança de tamanho do nariz, correção de assimetrias e afinamento da ponta nasal bulbosa, popularmente conhecida como “nariz de batata”;

Correção da giba, ou seja, aquele osso preponderante no dorso nasal, bem como a largura do dorso;

· Reconstrução de áreas que sofreram algum trauma;

· Correção de desvios funcionais, como o desvio de septo e a hipertrofia dos cornetos, visando uma melhor respiração;

· Desobstrução dos seios da fase e restabelecimento da função do aparelho mucociliar, que influenciam na rinossinusite crônica;

· Correção de defeitos congênitos, como é o caso da fenda labial, que atinge não só o nariz, mas também o lábio;

· Remoção de pólipos nasais, que são um tipo de tumor benigno.

Após alinhar com o paciente as possibilidades que se enquadram dentro das suas condições pessoais, o cirurgião deve esclarecer que não se pode criar expectativas quanto a ter um nariz igual ao de outra pessoa.

A plástica, na verdade, busca aprimorar os traços hereditários e étnicos de cada um, a fim de garantir uma harmonização facial, que não ocorre simplesmente copiando as características dos outros.

A título de exemplo, em narizes caucasianos, a plástica aperfeiçoa o dorso, deixando-o o mais reto possível e melhorando o bulbo, ou seja, a ponta, além de diminuir a largura das cartilagens e reforçando as estruturas nasais, se for esta a necessidade.

Em narizes orientais, a intenção é aumentar a projeção nasal, estreitando a base do nariz e corrigindo possíveis asas mais abertas.

Já em narizes negroides, a cirurgia visa definir o dorso e o bulbo, realizando enxertos. Também podem ser feitas incisões nas asas do nariz, para diminuir o tamanho e a base nasal.

Como o procedimento é feito?

A cirurgia, como regra, é feita a partir da aplicação de anestesia geral. Porém, dependendo do caso, pode ser feita somente com anestesia local.

Após as substâncias anestésicas surtirem efeito, o procedimento em si pode ser realizado. Ele pode ser realizado através de duas técnicas: aberta ou fechada.

Na técnica aberta, é feita uma incisão através da columela, que é aquela faixa de tecido que separa as duas narinas e, por ela, a pele que cobre todos os ossos do nariz e as cartilagens é elevada, possibilitando o acesso a todo a estrutura do órgão.

Já no procedimento fechado, não se eleva a pele e todas as incisões são feitas internamente, escondidas dentro do nariz.

Nos casos em que o nariz tem um tamanho muito grande, pode ser feita a correção redutora através de uma remoção do osso ou da cartilagem. Há, ainda, hipóteses de ser necessário adicionar enxertos de cartilagem.

Independentemente de qual for o tipo, a cirurgia tem duração média que varia entre uma hora e meia e duas horas.

Como é a recuperação?

Para que os resultados sejam alcançados, é essencial se atentar quanto ao pós-operatório e segui-lo à risca.

Assim que terminada a cirurgia, são colocados tampões de gaze interna e externamente, que devem permanecer por até três dias.

Pode ser colocada, ainda, uma tala por fora do nariz, que serve de apoio e proteção a nova estrutura, durante a fase inicial do processo de cicatrização.

É crucial o repouso absoluto durante a primeira semana. Após esse período, as atividades cotidianas leves podem ser retomadas. Por outro lado, os exercícios físicos só podem voltar depois de passadas três semanas.

Entretanto, é necessário esclarecer que este período pode ser revisto e aumentado pelo cirurgião responsável pelo procedimento, de acordo com cada caso específico.

O inchaço começa a diminuir durante algumas semanas, mas só sai por completo após alguns meses. Os resultados começam a ser visualizados gradualmente, mas a aparência definitiva só é visualizada com o final do inchaço.

Muitos têm procurado a rinoplastia durante o período de pandemia, devido o trabalho remoto, propício para a recuperação, aliado a outros fatores, como por exemplo o desconforto causado por vídeo chamadas de reuniões.

Esteja ciente de quais são suas motivações e procure um cirurgião plástico renomado para realizar a cirurgia de seus sonhos, garantindo bons resultados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.