Após chuva forte, desabrigados de Lajedinho são levados para imóveis.

Chuva forte causou tromba d’água na cidade no sábado (1°).
Defesa civil do município informou que foi decretado estado de emergência.

As famílias que ficaram desabrigadas após a chuva forte que atingiu a cidade baiana de Lajedinho, na Chapada Diamantina, na madrugada de sábado (1º), foram levadas, aos poucos, para novos imóveis, segundo informações o coordenador da Defesa Civil do município, Edmundo Carvalho, neste domingo (2). A chuva forte causou uma tromba d’água no rio Saracura, que invadiu a cidade e deixou casas e ruas alagadas. Não há registro de mortes ou feridos. Ainda segundo a Defesa Civil, foi decretado neste domingo, situação de emergência na cidade.
Conforme Edmundo, os imóveis serão das famílias, não é aluguel ou empréstimo da prefeitura. Eles foram construídos para as pessoas que ficaram desabrigadas por conta de uma chuva semelhante que atingiu Lajedinho e destruiu a cidade em dezembro de 2013. Na ocasião, 17 morreram e 600 ficaram sem suas casas. Além disso, estruturas de prédios públicos foram levadas pela enxurrada.

Lajedinho após chuva de sábado (1º)
(Foto: Alex Reis/ Arquivo Pessoal)

Edmundo explicou que, no total, são 231 casas. Inicialmente foram liberadas 94 casas para atender emergencialmente as pessoas que ficaram desabrigadas com a chuva da madrugada de sábado. No período da tarde deste domingo, o prefeito de Lajedinho, Marcos Mota informou a liberação dos outros 137 imóveis.

“Ficamos preocupados com invasão e as casas já estavam prontas. Então tive uma reunião com um representante da Caixa [Econômica Federal] para viabilizarmos as casas. Ainda não há sistema de esgotamento sanitário, nem de água, mas o empreteiro da Caixa nos informou que em 15 dias, o esgotamento estará concluído. E a água, estamos fazendo o reforço com carros-pipa”, explicou.

O G1 tentou, mas não conseguiu contato com a Caixa Econômica Federal, responsável pelos imóveis.

Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), na madrugada de sábado choveu 150 milímetros em Lajedinho. O volume e a força da água assustaram os moradores durante cerca de três horas. No dia da tragédia, em 2013, choveu 120 milímetros na cidade.

Conforme Edmundo Carvalho, com a chuva da madrugada de sábado, algumas casas tiveram rachaduras e muitas famílias perderam bens materiais, como móveis e eletrodomésticos. Alguns estabelecimentos comerciais também tiveram prejuízos. Em um mercadinho, produtos foram levados pela chuva e ficaram espalhados. A água chegou a alcançar 1,5 m em algumas residências.

Alguns pontos de Lajedinho já estão sem lama neste
domingo (Foto: Defesa Civil de Lajedinho/Divulgação)

Chuva na cidade
No sábado, a chuva em Lajedinho foi mais fraca do que durante a madrugada. Ao longo da tarde, estiou, mas a chuva voltou a cair por volta das 17h30, segundo contou Edmundo Carvalho. A manhã deste domingo na cidade foi de tempo nublado, mas sem chuva. Com a situação, a prefeitura aproveitou para continuar a limpeza no município, que começou no sábado, quando havia muita lama pelas ruas.

Neste domingo, ainda é possível notar lama por algumas ruas de Lajedinho, só que menos do que no sábado. Foi preciso um trator para limpar o local. A previsão de tempo para a cidade neste domingo é de possibilidade de chuva. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura na cidade varia entre 17°C e 33°C.

Limpeza em Lajedinho neste domingo (2) (Foto: Defesa Civil de Lajedinho/Divulgação)

Seca
Lajedinho teve o estado de emergência, por conta da seca, reconhecido pelo Ministério da Integração no dia 2 de fevereiro. O decreto vale até o dia 10 de julho. Conforme o coordenador da Defesa Civil da cidade, embora o volume de chuva tenha cido muito alto no município neste sábado, não choveu na zona rural do município, que vem sendo castigada pela estiagem. A chuva se concentrou na área urbana de Lajedinho.

Tragédia em 2013

Cidade ficou destruída após chuva em 2013 (Foto: Marcos Antônio Oliveira/Arquivo Pessoal)

Um temporal causou destruição e mortes, na noite de 7 de dezmebro de 2013, no município de Lajedinho. De acordo com a Defesa Civil, choveu na cidade, em 2 horas, cerca de 120 mm. Aproximadamente cerca de 90% do comércio de Lajedinho foi destruído.

O imóvel da Prefeitura de Lajedinho também foi atingido pela enxurrada, diversos equipamentos e documentos foram destruídos. A sede da Assistência Social também foi afetada. Das 17 pessoas mortas na tragédia, 8 eram da mesma família.

fonte:g1.globo.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.