Otto acusa Neto de vetar empréstimo de Temer ao governo Rui; MK comenta


Foto: Rodolfo Stuckert/ Câmara dos Deputados

Mário Kertész compartilhou com os ouvintes da Rádio Metrópole uma “indignação” com uma atitude do presidente Michel Temer (PMDB). Na tarde desta quarta-feira (19), durante o Jornal do Meio Dia, MK contou que conversou com o senador Otto Alencar (PSD) e ouviu dele que Temer decidiu voltar atrás da liberação dos financiamentos que havia liberado ao governo do estado para a requalificação de estradas e investimentos em educação e saúde.

MK começou lembrando que Temer iria, com a liberação, compensar os prejuízos do Nordeste com o programa de recuperação de dívidas dos estados. “Os grandes beneficiados foram os estados do Sul. O Nordeste não teve benefício quase nenhum, porque tinha feito sua organização direitinho, sua lição de casa. Então, o presidente chamou os governadores, teve uma conversa e disse que ia compensar autorizando determinados empréstimos autorizados, que o governo federal estava segurando desde a época de Joaquim Levy [ministro da Fazenda durante o governo Dilma Rousseff]”, comentou MK.

Segundo MK, Otto esteve na semana passada com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que autorizou o Banco do Brasil a efetuar o empréstimo para o governo da Bahia: “Saiu publicado no Diário Oficial. Já na sexta da semana passada, o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, telefona para Otto e diz o seguinte: “Senador, lamento informar que o empréstimo foi suspenso por ordens superiores”. Otto ficou absolutamente indignado e, segundo ele, isso teria sido um movimento do Democratas e, segundo o senador, com a participação de ACM Neto, que hoje aqui, disse que ao contrário, que ele pediria que fosse entregue mesmo o dinheiro e que ele não faz esse tipo de política. Pois é, não é essa a informação”, ressaltou MK.

“Faço questão de deixar isso claro, porque é algo muito importante para a Bahia e ACM Neto disse que jamais iria fazer o que fizeram com ele. O PT fez, é verdade, sou testemunha. O ministro [Gilberto] Kassab ficou enrolando o negócio do BRT e não saiu. Vai sair agora, saiu um pedaço por interferência de Geddel [Vieira Lima, ex-ministro] e agora estão fazendo o contrário”, completou.

Fonte: Metro1

Comments

Comentários

Anterior Assalto e capotamento no horário do almoço, em Morro do Chapéu.
Próxima Jorginho foi conversar com o patrão após a reforma trabalhista, veja: